Sismologia estelar em simbiose harmônica com a revelação

O som no espação não pode ser propagado, ele não se propaga no vácuo, no entanto, existem técnicas da asterossismologia (ou astrossismologia, ou sismologia estelar), que estudam as ressonâncias naturais das estrelas e planetas. Elas emitem vibrações magnéticas que criam minúsculas mudanças ou pulsações em seu brilho, causados pelo som “preso” dentro das estrelas. Esse som pode ser mapeado e registrados por equipamentos especiais nos telescópios, espaçonaves e satélites da NASA nos EUA de outros países como no Reino Unido e França. Já foram detectadas oscilações acústicas ressonantes em estrelas da Via Láctea, por exemplo. Essas gravações são traduzidas e transformadas em sons por rádios transmissores, com frequência equivalente ou proporcional para o ouvido humano.

Segundo os pesquisadores, a gravação dos sons permitiu que se conseguisse captar pela primeira vez informações sobre processos que acontecem dentro das estrelas. Os sons captados pelos cientistas revelam que as estrelas têm uma “pulsação” regular.

Também é possível perceber que o som de cada uma das estrelas é levemente diferente das demais. Isso acontece porque o som das estrelas depende da idade, tamanho e composição química de cada um dos astros.

O interessante é ter cuidado para não se fanatizar e não viver religiogizando tudo que se vê e que se ouve. No entanto, é inevitável não associar fatos descobertos na ciência moderna com relatos antigos. Por exemplo, os salmos narram uma narrativa da celebração das estrelas na presença de Deus. Fica que, digamos, quase que impossível não se regozijar com tamanha precisão divina, unindo eventos.

Desta feita, existe outros, mas, deixo apenas um vídeo abaixo que, em tese, seria o som das estrelas e planetas, revelados pela NASA.

Ouça, e lembrem-se que o Eterno existe, e que sua criação vibra e se comunica entre si:

“Louvai ao SENHOR. Louvai ao SENHOR desde os céus, louvai-o nas alturas.
Louvai-o, todos os seus anjos; louvai-o, todos os seus exércitos.
Louvai-o, sol e lua; louvai-o, todas as estrelas luzentes.
Louvai-o, céus dos céus, e as águas que estão sobre os céus.
Louvem o nome do Senhor, pois mandou, e logo foram criados.
E os confirmou eternamente para sempre, e lhes deu um decreto que não ultrapassarão.
Louvai ao Senhor desde a terra: vós, baleias, e todos os abismos;”
Salmos 148:1 a 7

Fontes:
BBC
Veja Abril

Comente aqui