“Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos”, isso é sério e dá problema

Você terá de decidir em relação ao que o Evangelho significa na sua vida no presente e no futuro.

A expressão Jugo Desigual está relacionada à figura de dois animais diferentes (como um boi e um jumento, por exemplo) unidos por um jugo (canga) na execução de uma tarefa, como, por exemplo, arar o solo; além de dificultar o trabalho, os animais poderão sofrer danos. Isto é, inclusive, algo proibido na Torá: “Não submeterás um boi e um jumento ao mesmo jugo para arar a terra!” (Dt 22:10). De certa forma, poderíamos associar essa figura à questão do casamento, pois, se alguém de fé cristã se casa com alguém que não seja da mesma fé (cristão), haverá uma comunhão entre pessoas diferentes, acontecerá um Jugo Desigual. Viver a dois só dará certo com a união de boi com boi, tigre com tigre, leão com leão, e por aí vai…

Não vos ponhais em julgo de desigual com os incrédulos” (II Co 6;14), não significa que só se deva casar com crentes da mesma denominação, por exemplo. Não, não é isso. Não se pôr em um julgo de desigual com os incrédulos é, sobre tudo, não entrar em desníveis em relação a vida espiritual, mental, emocional e afetiva. Se a pessoa da qual escolhemos viver não tem a mesma percepção e não conhece a Cristo no nível que você – não estou dizendo sobre nível de conhecimento –, se o temor do Senhor não habita nela da mesma forma que em você, certamente viverão em um Jugo Desigual.

Entenda de uma vez por todas: Quando o cara diz que um dia creu no Evangelho, vive verdadeiramente essa realidade e a fé não apenas uma ‘crençazinha’, isto se torna a coisa mais essencial na vida dele. Por isso, quem tem o evangelho como sendo a coisa mais essencial na vida, não conseguirá jamais ter um mínimo de conforto e segurança com alguém que não pense em Cristo assim. Pra que possamos ter conforto e segurança com alguém, esse conforto tinha que ter no mínimo essa plataforma para que pudéssemos erigir a vida sobre esta base, ou seja, das coisas que em Deus são fundamentais para nós. Agora, se o alicerce em Cristo de um está numa altura e o do outro numa outra altura, as convicções desniveladas e as interpretações da vida diferente, fará que muito provavelmente essa relação não dê certo.

Para ter uma pessoa junto, não é preciso fazer profissão de fé com ela, você vai perceber no olhar, nas convicções, nos significados, nos objetivos, se as ambições espirituais são da mesma natureza da sua, aí as chances são enormes dessa relação dá certo. Portanto, viver num Jugo Desigual, é viver com alguém que pensa espiritualmente de modo totalmente oposto à sua convicção de fé.

Não se envolva com quem não quer nada com o Evangelho, que não entenda nada do Evangelho, que não tenha avidez pelo Evangelho, que não esteja a fim de crescer no Evangelho… Se assim for, ainda que subjetivamente e involuntariamente, essa pessoa te puxará para baixo todos os dias.

Embora devemos escolher as pessoas pela essência, essas naturezas assim tão desiguais não dão certo, ainda que sejam duas boas pessoas vivendo e tentando viver juntos. Não daria certo duas pessoas vivendo em dissonância, com maneiras e estações tão diferentes de ver a vida espiritual. O que não se pode fazer, também, é forçar o outro a se converter, aí seria crueldade e hipocrisia, ainda que tal pessoa consentisse com tal atitude, ela mesmo não mudaria em nada, pois, seria uma “conversão” forçada e não um fruto sincero, verdadeiro e espontâneo. Sendo assim, se não houver por parte do não-cristão uma conversão para sua convicção genuína na fé em Cristo, isso ficará cada vez mais antagônico, isto é, quanto mais você cresce de um lado, mais distante ficará do outro.

Eu, digo eu; não consigo ter comunhão mental com alguém que não pense em Cristo como eu penso. Posso – como já aconteceu noutra ocasião –, viver com gente olhando para ela apenas por outras qualidades da vida, viver focado em quão boa ela é, o quão especial seja a família dela, o quão amiga ela é, e etc., mas, o que fica mesmo é o Tesão Espiritual, viver na mesma compreensão, no mesmo entendimento, no mesmo acordo, no mesmo pensamento, nos mesmos objetos, na mesma consciência de fé, no mesmo entendimento sobre a essência da vida e nos mesmos valores e princípios espirituais.

A vida em Deus é o alicerce para a vida sadia-a-dois, se assim não for, falha-se em viver com alguém que não pensa em Cristo como você.

Rubens Júnior,
Campos/RJ
03/10/21, às 03h05min.

LEIA TAMBÉM:
Você não vai achar ninguém perfeito, e ainda bem por isso!
Cuidado com a tal da “incompatibilidade de gênios”. O amor não busca seus próprios interesses.”
Cuidado com a valorização da carência