A mentira de que tudo é verdade

Com o advento da pós-modernidade, sofismas entranharam-se nas universidades e nas sociedades, influenciadas num geral, por filósofos dos mais variados – muitos deles mal entendidos, vale lembrar.

Juntando todo tipo de ideologia exposta, criou-se a ideia de que “nada é absoluto, tudo é relativo”, ou seja, se não existe absoluto eu sou o meu deus, eu sou meu padrão, eu determino minhas regras, verdade para mim é relativo, pois, se não há padrão de absoluto, verdade para você pode não ser verdade para mim.

Lamento que jovens hoje entraram nessa seara sem saber quais foram essas raízes, onde isso começou e quais foram as motivações, acham bonito e revolucionário ser um sujeito todo relativizado sem norma absoluta.

Deus também entrou nesse pacote, hoje questionam a existência de um ser que pra ser desacredito demanda muito mais fé do que a própria crença nEle, dado as evidências de Sua existência. Até bíblia, coitada, que em sendo seguida mudou vidas no curso da história humana e que ainda transforma, até ela virou motivo de dúvidas das mais infantis que causam canseira e enfado em ser respondidas e explicadas.

Não há vaga disponível na garagem da vida para o relativismo, pois, em tese, todo relativista é em sim mesmo um defensor do absoluto, na medida em que absolutiza seu relativismo.

Que Deus possa orientar vidas, dar sabedoria, inteligência e sede por conhecimento que desescraviza os homens das mentiras pregadas e ensinadas, principalmente no contexto da internet, e os façam entender que pra existir várias verdades acerca de um único assunto, todas elas menos uma estão erradas, pois, A Verdade é Única.

P.S.: resolvi escrever esse textinho após uma longa conversa pelo whatsapp com um amigo hoje. Em havendo oportunidade, escrevo mais sobre o relativo e o absoluto.

Rubens Júnior,
Campos/RJ
22/11/2020

Comente aqui