O enclausuramento claustrofóbico do labirinto da vida

A vida tende, propositalmente, não sei, nos colocar em determinado momento da vida, num labirinto, de modo que, a sensação é de que se não conseguirmos sair sucubiremos dentro dele (labirinto). Então, parece que essa ação nos “puxa” para a tomada de decisão. E cada um, inevitavelmente passa um dia por isso, uns para um determinado objetivo e outros para outro.

Mas, às vezes, quão complexo é sair desse labirinto, não é mesmo? A não ser que a mesma força que o tenha enclausurado nessa labitinto, também o conduza à saída.

E te lembrarás de todo o caminho, pelo qual o Senhor teu Deus te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não. E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram; para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor viverá o homem. Nunca se envelheceu a tua roupa sobre ti, nem se inchou o teu pé nestes quarenta anos. Sabes, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o Senhor teu Deus. (Dt 8:1 a 5)

Hoje, 09 de janeiro de 2020, escrevo aqui com a certeza de que essa Força é a Luz, é a luz que vindo ao mundo ilumina todo homem, é ela que me guiará ao final independente do desfecho. Essa luz e essa força conduzidora, é o verdadeiro caminho que leva a vida e que nos livra do enclausuramento claustrofóbico do labirinto da vida.

NÃO SEI VOCÊ, mas, estou sendo puxado, estou sendo compelido a ser lá fora o que não poderia deixar de ter sido; fui teimoso, confesso, achei que seria interessante e revolucionário, por isso, a insistência dessa força – ela é tão amorosa que insiste e insiste… –, digamos, divina, em tirar-me dessa angústia dentro desse labirinto desconfortante.

Agora, é observar a luz, segui-la e sair desse encapsulamento…

O homem chamado a ser livre, por onde quer que ande, Deus sempre com ele está:

(…)se subir aos céu, tu aí estais; se fizer nas profundezas a minha cama, tu ali também estais. Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, ainda li a tua mão me guiará e a tua desta me susterá. Se eu disse: Decerto que as trevas me encobrirão, e a noite será luz à roda de mim, nem ainda as trevas são escuras para ti; a noite resplandece como o dia, pois as trevas e a luz são para ti a mesma coisa.” (Sl 139:8 a 12)

Jonas também por tanto fugir, entrou num labirinto, na boca de um grande peixe, por ser teimoso. Mas, de nada adiantou, foi puxado e compelido a sair.

P.S.: talvez você não tenha entendido que tipo de labirinto que hoje me encontro, 09 de janeiro de 2020, quem sabe nunca seberá. Entenda que estou sendo puxado e eu disse “sim” para saída.

Motivo de gozo!

O enclausuramente que tem caustrofobiado a sua vida eu não sei qual é, mas, lembre-se que o seu socorro virá do alto (Sl 121), do Pai das luzes, em quem não há mudança e nem sombra de variação (Tg 1:17).

É isso,
Rubens Júnior,
Campos/RJ em 09 de janeiro de 2020.

Comente aqui