Um papo cabeça entre o Cristão e a Bebida Alcoólica

A questão de bebida alcoólica, não é propriamente ela, mas:

(1) A quantidade que se bebe;
(2) Quem pode ou não pode beber por motivos de saúde;
(3) Propensão à dependência;
(4) Autocontrole.

Cerveja Calvinus

Bebida alcoólica é algo que choca as pessoas, principalmente os crentes, e por que isso? Ora, vemos sempre nos jornais, na TV, na internet e, em outros veículos de comunicação, que o álcool destrói a vida de muitas pessoas.

Será que isso é mentira? De maneira nenhuma! É a pura realidade! Mas os crentes em geral não dizem e pregam contra o álcool somente porque ele é devastador contra a vida humana, mas, por motivos, talvez hipócritas e moralistas. Sim, hipócrita e moralista!

Sempre fora ensinado aos crentes que bebida alcoólica é “água do diabo”, daí sempre houve uma proibição, pois, quem bebe trona-se em um ser desviado da presença de Deus. O cara pode ser bom, pacificador, coração amigo, piedoso, misericordioso, limpo de olhos, sem inveja e desinteressado em fofocas, mas, se bebe, ainda assim será considerado mundano, desviado e demoníaco, pois ingeriu bebida alcoólica.

Parece que ouço Jesus dizer que “entre vós não seja assim!” Diferentemente Ele disse: “Nada há, fora do homem, que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele, isso é que contamina o homem” (Mc 7:15).

Com os cristãos primitivos não era assim, eles não tinham essa neurose acerca de bebida alcoólica. Jesus bebia cerveja e vinho! Foi até chamado de “bebedor de vinho”. Nos dias dEle exista a “cevita”, que era uma cerveja muito apreciada entre os romanos e por toda a palestina.

Pelo fato de a bebida alterar a consciência e enterpecer os sentidos, como narra minuciosamente Pv 23:29 a 35, muitos creem que o vinho que Jesus transformou nas bodas de Caná (Jo 2) não continha álcool, posto que, se assim fosse, Ele estaria pecando. No entando, temos indícios que era vinho mesmo, vinho com álcool, como convinha em qualquer festa da época. Ele NÃO foi chamado pra realizar o casamento, foi um convidado normal, apenas foi e transformou água em vinho, que na percepção dos presentes na festa, era o melhor vinho, e que ficou guardado para o final.

Ah, ainda tempos o vinho servido na ceia descrito em I Co 11, que tinha o poder de embriagar – “…ao passo que há quem se embriague…”.

É impossível ser discípulo de Jesus e se tornar um asceta. Paulo nos recomenda a não sermos assim – “… não bebas isto, não proves aquilo, não toques aquilo outro…”, coisas essas que Paulo diz que têm “aparência de sabedoria e humildade, mas que não têm valor algum contra a sensualidade” (Cl 2:21).

Sobre esse assunto, deve-se fazer uma pergunta: Que bem beber cerveja ou qualquer bebida alcoólica me faz?

Se a bebida faz mal a você, por que beber?

(1) Tem gente que não pode beber, nem um pouquinho, porque tem propensão a dependência. Dos tais, o ideal seria bom nem chegar perto. No entanto, ainda que ninguém tenha de se privar em razão da fragilidade de quem quer que seja, o chamado cristão é para o que edifica e convém! Se alguém bebe, e corre o risco de se tornar dependente; isso tanto não edifica quanto não convém. É sobre esses que a indicação bíblica indica que não se deve fazê-lo na frente para não escandalizar e tornar-se pedra de tropeço. (Rm 14:21;

(2) Não é aconselhável o cristão beber, não porque o líquido vai jogá-lo no inferno – líquido não tem esse poder. Não se é aconselhável porque o álcool faz perder a sobriedade, sensatez, a moderação. A Palavra nos manda sermos sóbrios e vigilantes, ser tardio no falar, no agir, e não nos deixarmos levar pela bebida que é um alterador de consciência e um entorpecimento dos sentidos…O vinho é escarnecedor”, (Pv 20:1) e a sua “embriagues há contenda” (Ef 5:18). Contudo, quem bebe com sobriedade, bom-senso e prazer maduro, que o faça sempre sem exageros, isto lhe “é lícito, mas não se deixe dominar por nada disso” (I Co 6:12).

É aí que deve andar a não indicação. Exagerar pra que? Todavia, há quem goste de brincar com o poder do álcool na mente.

Beber? Ora, beba meu amigo(a), mas seja maduro, não se embriague exacerbadamente, beba mas não dirija, beba mas não seja bebido pela bebida. Um dos maiores sinais que a bebida já bebeu o cara, é quando ele tem de beber todos os dias, ainda que não se embriague. Assim sendo, a bebida já bebeu o cara e ele nem sentiu. O humor muda sempre ao ponto de que fica bem humorado quando bebe.

Paulo recomenda a Timóteo que, por causa dos seus problemas estomacais ocorrido pelas águas contaminadas que bebia ao longa das estradas, que não bebesse somente água, mas também um pouco de vinho (I Tm 5:23).

Você pode beber e ir pro céu bebendo, problema não é o céu ou a salvação, mas é o coração, é o fígado, são os rins, é a circulação, é a vitalidade física e sexual, é o tempo, é o dinheiro gasto.

Deus não é criança, fazendo beicinho, biquinho e ficando de mau cada vez que você coloca um álcool na boca, Jesus não vai ficar zangadinho se isso acontecer. Ele disse que “o que contamina o homem é o que sai dela, e não o que entra.” (Mt 15:11)

Todas as coisas são puras para os puros…” (Tt 1:15) “Todas as coisas me são licitas, mas nem todas edificam ou me convém. Todas as coisas me são licitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhum delas.” (I Co 6:12,13)

Sua consciência não pesa?
Bem aventurado o homem que não se condena naquilo que aprova” (Rm 14:22).

Pelo amor de Deus, qual é o paladar que não almeja um bom vinho no frio ou de uma cerveja gelada num dia de verão? Ou de um bom champanhe nas festas solenes, Natal, Ano Novo? Todavia, “não useis a liberdade para dar ocasião à carne” (Gl 5:13; I Pe 2:16)

Isso é o que eu acho!
Um abração a todos!

Rubens Júnior

Comente aqui